Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Associativismo e Políticas para as Comunidades CRBE - Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior CRBE 2010 - Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior Novo CRBE - Documentos Composição do novo CRBE ESPAÇO DOS CONSELHOS Conselho de Cidadania dos Países Baixos

 

Divisão das Comunidades Brasileiras (DBR) no Facebook

 

Conselho de Cidadania dos Países Baixos

O Conselho de Cidadania dos Países Baixos foi inicialmente chamado de provisório, sendo encarregado, entre outras coisas, de organizar as eleições para o conselho de definitivo.
 
Para tal foram criados um Website/blog http://conselhonl.blogspot.nl/ , uma pagina no Facebook http://www.facebook.com/conselhonl que proporcionaram a ampla divulgação das eleições.
 
Nestes pontos virtuais pode-se encontrar informações sobre a proposta do conselho para a IV CBM, bem como as publicações oficiais, também encontradas na pagina do Consulado Geral em Rotterdam, sobre todos os procedimentos adotados no intuito de promover a participação da comunidade.
 
No entanto após várias tentativas de levar a cabo as eleições, inclusive com gastos em publicações gráficas e promoção de eventos nas diferentes regiões houveram apenas duas candidaturas ao conselho. Assim sendo não houve outra alternativa se não cumprir-se o que prevê o Manual Consular e convocar-se os voluntários que até então trabalharam no processo para continuar compondo o Conselho e eleger um representante dentre os mesmos para a IV CBM. Faceamos aqui o que já foi dito por outros colegas em outros países o desinteresse e a dúvida da comunidade de que tal processo seja mesmo em prol dela e não de interesses particulares. Da proposta do Conselho de Cidadania dos Países Baixos, destaco a proposição de um sistema de eleição virtual e seguro que tem como base um banco de dados a ser formado a
partir de várias fontes, tais como o TSE, Matriculas Consulares e Associações.
 
Foi proposto também um pré-estatuto, também adaptado e devidamente contextualizado a partir de outros conselhos, como o do Reino Unido, Suíça e Espanha, a ser definitivamente aprovado logo se consiga pela via democrática a eleição do Conselho. Destaco nesta proposta de estatuto a posição do Consul Geral que ocupará a posição de presidente de honra, deixando aos cidadãos a função de presidir o conselho.